Experiência de Fé – Márcia Brito

Caríssimos leitores, ouvi esta experiência, em maio.2015, e acho que a Mulher Maravilha é ela!!

Pedi permissão para publicar aqui no blog, a essência com certeza, vc vai captar…

Senta que lá vem!!

Igreja Messiânica Mundial do Brasil

Johrei Center TATUAPÉ

EXPERIÊNCIA DE FÉ de Márcia Cristina de Brito

Meu nome é Márcia Cristina de Brito. Sou membro da Igreja Messiânica Mundial do Brasil, há 23 anos. Atualmente, dedico no Setor Interno, secretariando o movimento da Área Tatuapé.

No início de 2013, comecei a ter hemorragias constantes, por isso, procurei um médico que solicitou vários exames, sendo detectados dois tumores malignos no endométrio.

Parece que, quando recebemos uma noticia dessa, recebemos, junto, uma sentença de morte e tudo muda: o olhar, e o sabor da vida.

O primeiro contato que fiz, foi comunicar a Meishu Sama. Desabafei, chorei de emoção e agradeci pela bênção da purificação, mas, com uma dúvida, e perguntei: como vou falar isso para minhas filhas?

Decidi esperar por alguns dias, serenar meu espírito, para poder falar-lhes com tranquilidade, pois queria evitar que elas ficassem inseguras, ou com medo. Fui me fortalecendo dia a dia, até poder sentir mais confiança.

Agradeci a permissão de estar eliminando esta mácula e roguei força a Meishu Sama, e proteção ao meu guardião, para que nada abalasse a minha fé. Comuniquei ao Responsável da Área de quem recebi Johrei e orientação para ministrar e receber muito Johrei antes da cirurgia, agendada para 15 de junho.

Assim, orei e me entreguei nas mãos de Deus e, no dia, em jejum, fui preparada para a cirurgia. No centro cirúrgico, a médica iniciou o procedimento, mas fiquei indignada, quando já estava com alguns instrumentos cirúrgicos dentro de mim e, só aí, fui informada de que não seria anestesiada.

“Gelei”, quis sair correndo dali, mas era tarde demais. Não foi fácil, vi e senti tudo.Tiraram dois “bifes”, a sangue frio.Senti uma dor absurda, quase desmaiei na mesa.

Ao término, a médica pediu para eu me sentar, me vestir e ir embora. Nossa… Nem sei explicar em palavras, como consegui sair dali e, chorando de dor, fui para casa.

Passei 15 dias com muita dor, mal conseguia me levantar, mas recebi muita assistência religiosa de familiares e amigos liderada pelo gestor do Responsável da Área que, incansavelmente, me assistiu. Assim, fui me recuperando.

Ao retomar as minhas dedicações, me disseram:- Você suportou e superou a intensa dor, porque foi Meishu Sama que utilizou as mãos da médica. Emocionei-me! Fui ao altar materializar minha gratidão e agradeci a proteção que havia recebido.

No entanto, a hemorragia não parou e veio o pedido de uma bateria de novos exames, pois os médicos não entendiam o que estava acontecendo.Realizei 5 biópsias em 7 meses, até descobrirem que, na cirurgia, só tiraram 1 tumor e o outro que ficou, cresceu e já havia lesionado o colo uterino.

Foi indicada a nova cirurgia, agora com um medico especialista e com convenio médico que recebi com a graça divina.

Nesse período, intensifiquei meu servir a Deus. Alem de dedicar na Sede da Área todos os dias, passei a dar assistência religiosa a noite a vários membros em purificações e, a cada dia, me sentia mais forte.

Fui encaminhada a nutricionista que passou uma dieta alimentar alinhada com as orientações de Meishu Sama. Passei a consumir alimentos orgânicos, adquiridos quinzenalmente, apoiada por missionários de outras unidades.

A família ficou um pouco abalada e minha filha caçula precisou de acompanhamento psicológico, comecei a ministrar diariamente johrei. Eu, percebendo o medo que elas sentiam em silencio, encaminhava para Meishu Sama esse sentimento e pedia para ser purificado.

O médico sugeriu duas cirurgias simultâneas, retirada do tumor no endométrio e retirada do colo uterino. Dessa forma, um ano após a primeira cirurgia, estava eu no centro cirúrgico, em julho de 2014. Desta vez, porém, muito diferente, em outro nível de fé, tranquila. No pré-cirúrgico, como se Deus tivesse me acolhendo e, minutos antes, recebi um telefonema de algumas pessoas que estavam no altar, me entregando nas mãos de Deus e Meishu Sama. Logo, fiz oração em sintonia com eles e, em seguida, dormi.

Minutos depois, acordei, com minha filha ministrando-me Johrei e me perguntou:- Mãe, quando você vai ficar nervosa?

Eu respondi:- Estou tranquila, Deus está no comando de tudo. E fui levada ao centro cirúrgico.

Lá, conversando com o médico, ele avaliou que não poderia realizar as duas cirurgias ao mesmo tempo, porque estava com as plaquetas baixas e a hemorragia havia aumentado, e corria o risco de acontecer uma hemorragia estancável e decidiu retirar somente o colo uterino.

A cirurgia foi bem sucedida e eu passando bem. Dois dias depois já estava em casa e, novamente, recebi muita assistência de Johrei. A recuperação foi breve. Voltei a dedicar rápido, internamente, dando assistência religiosa, e realizando reunião de Johrei no lar.

Vinte dias depois, o médico solicitou que eu fizesse 20 sessões de radioterapia e quimioterapia oral, como prevenção. Esse talvez tenha sido o momento mais difícil, pois, para poupar minha família, decidi que iria sozinha a todas as sessões de radioterapia.

A cada comprimido quimioterápico ingerido, sentia um grande mal estar, indisposição, boca seca, enjoos e não conseguia comer nada. Mas, vinha para a Igreja, quase todos os dias e, diante do altar, agradecia a Deus a radioterapia, pois sentia que esse procedimento era a radiação do amor de Deus e a quimioterapia, os meus remedinhos de amor. Agradecia, também, a oportunidade de estar servindo na Obra Divina, mais um dia. Colocava um sorriso no rosto e tentava dar o melhor de mim.

Três meses depois, veio uma terceira cirurgia, para a retirada do tumor no endométrio. Nesta, tomei anestesia raquiana com sedação, mas, me sedaram antes de dar a rack. Não vi como fui anestesiada e acordei no CTI. Levaram-me para o quarto e a anestesia demorou a passar.

No dia seguinte, tive alta hospitalar, ainda sentindo partes do meu corpo dormente. Em casa, comecei a sentir muita dor nas costas. Minha filha examinou e disse que estava roxa, com sinais de dois furos.

Liguei imediatamente para o hospital e fui orientada a fazer compressas frias. Aí, a dor piorou e lembrei que Meishu Sama fala que o frio solidifica a toxina. Então comecei a fazer compressas quentes e receber Johrei. Senti melhorar, mas, alguns dias depois, fiquei imobilizada (travada) e fui levada ao hospital.

O medico disse que furaram minha coluna duas vezes, uma com certeza foi errada, e a outra era da rack. Mais uma vez, recebi proteção divina e agradeci. Fui medicada com morfina, pois estava mal mesmo.

Realizei tomografia e ressonância magnética e foi constatada uma hérnia de disco e artrose na coluna e recebi muita orientação médica: não caminhar, não pegar peso, não varrer casa, não… não… não e não.

No retorno pós-cirúrgico, novos exames foram realizados e começou a dar alterações nos de sangue. Os leucócitos começaram a subir: de 1 a 11 mil que é o normal, para 13mil 850. Fazia exames de sangue quase toda semana e a leucocitose foi aumentando. Os leucócitos chegaram em 78mil e as plaquetas despencaram. Diante desse quadro, o médico me encaminhou ao Clinico Geral que, ao avaliar meus exames e após longo interrogatório, resolveu investigar melhor e solicitou um exame chamado Mielograma, e outros exames de sangue mais específicos.

Como o Mielograma é doloroso, eles aspiraram a medula óssea pelo OSSO ESTERNO que fica no meio do peito. Com os exames na mão, fui encaminhada a um especialista, o Hematologista Oncológico, e fui informada que estava com suspeita de ter metástase na medula óssea, pois o câncer podia ter passado pela corrente sanguínea, e isso precisava ser minuciosamente investigado, pois aparecia muito discreto, no Mielograma.

Sempre comunicando ao Ministro, recebi a orientação de fortalecer as práticas básicas e que deveriam ser planejadas para ordem crescente, mês a mês, simultaneamente. Após entrevista com o ministro, fiz meu planejamento anual e comecei a me empenhar com meu esforço máximo, para concretizar, de forma crescente, o Johrei, gratidão, leitura de ensinamento e dedicação.

Novamente, solicitaram uma bateria de exames, outro Mielograma, e agora com biópsia de medula e vários outros exames que judiam bastante do nosso corpo material. De início, fiquei com medo, mas, com medo mesmo fui fazendo os exames.

No dia da biópsia e mielograma, estava ansiosa e pedi a Deus força, para que nada abalasse o meu estado emocional e acalmar meu coração aflito.

Nesse dia, recebi mensagem de uma amiga que nada sabia, dizendo:-Não se aflija; permita que somente os pensamentos positivos façam parte de seu dia! Pois, o homem depende de seu pensamento. Pense positivo. Alegre-se que virão coisas alegres!

Nem imaginam o tamanho da alegria e proteção que senti! Fiquei muito emocionada e percebi que era a presença de Deus, cuidando de mim. Entrei na sala do procedimento, brincando com todos. A médica gostou disso e falou-me que era um exame muito dolorido, que mesmo anestesiada, eu sentiria dor, mas que confiasse nela.

O exame foi feito no osso da bacia (crista ílica), em posição fetal. Ela foi me informando de tudo que fazia e, na hora de aspirar a medula, me avisou:- agora vai doer, pense em coisas boas. E, no momento de fazer a biópsia para retirar 1,5 cm do osso, avisou novamente, vai doer muito agora; respire e agüente firme! Ali senti o amor de Deus, pois a enfermeira veio na minha frente e me abraçou, dizendo que se eu quisesse poderia apertá-la.

Minhas lágrimas escorreram. Fechei os olhos e, baixinho, comecei a orar Amatsu Norito, quando a médica disse que iria retirar a agulha e que era para eu pedir a Deus que saísse o pedaço ósseo, pois, caso contrário, teria que colocar a agulha novamente.

Realmente, teve que introduzir novamente a agulha de uns 20 cm e da grossura de um canudo. Nesse momento, firmei meu pensamento no altar do Solo Sagrado, e fui imaginando meu corpo em cima de um sambo, oferecendo a Deus, agradecendo pela minha existência. Passou um filme na minha mente.

Comecei a rezar, de novo, Amatsu Norito seguidos e não senti nada do procedimento. Abri meus olhos e ela falou:- já está acabando. Parabéns, você se comportou muito bem. Poucas pessoas conseguem passar por esse exame sem gritar, sem dar trabalho.“Que linda é a sua oração! A enfermeira e eu estamos emocionadas com você,” disse a médica.

Recomendou-me os cuidados que deveria ter durante alguns dias e me fez um pedido:_ ao sair daqui, por favor, sorria, pois na sala de espera há varias pessoas que lhe observarão e ficarão mais tranquilas, pela minha atitude.

Só de ela pedir isso, eu já comecei a sorrir e ainda brinquei:- Se alguém me perguntar algo vou dizer que nem doeu.

Na saída, o pai da minha filha me esperava de carro para retornar a casa. Só que, quando estava estacionando o carro para me pegar, um ônibus bateu no seu carro.

Ele ficou extremamente nervoso. Fui ministrando-lhe o Johrei até chegarmos em casa e pensei comigo mesma:- eu não vim neste mundo, para ser servida.

Dessa forma, precisei de alguns dias mais para recuperação e, novamente, voltei a dedicar, com força total, pensando: -preciso acumular méritos para ter merecimento de receber a proteção de Deus e continuar a missão de servir a humanidade, cumprindo a missão concedida pelo Criador.

Nisso, veio a agenda do Encontro de Frequentadores no Solo Sagrado, para 26 de abril. Recebi a tarefa de convidar 10 pessoas. Por isso, cada pessoa que vinha no meu pensamento, passava o convite.

Do nada, uma amiga que há muito tempo não via, me convidou para ir a sua casa. Fui decidida a convidá-la. Ministrei Johrei na família toda e fiz o convite, sem pestanejar. Elas o aceitaram e 4 pessoas na mesma casa tomaram a decisão de ir, ao todo fechando 16 pessoas confirmadas e concretizando uma reoutorga de um membro que estava afastado da igreja.

Recebi mais um convite do ministro para realizar uma gratidão especial, orientando-me que eu fizesse meu esforço máximo. Na hora, pensei: – Meu Deus, como vou fazer?

Refleti, fui ao altar e agradeci a Meishu Sama por mais esta permissão de alto nível, e poder junto com meus antepassados, materializar a minha gratidão.

No sábado dia 11 de Abril, consegui concretizá-la e tive a permissão de realizar mitamamigaki (polimento da alma), limpando o altar do JC, para o Culto Mensal.

Senti uma emoção muito grande e agradeci muito em poder estar ali, juntamente com todos os meus ancestrais e antepassados e, agradecendo já, com antecedência, o parecer médico que receberia na segunda feira, 13 de abril, dizendo que aceitaria qualquer resultado, com amor e gratidão.

Neste dia, fui a consulta, preparada para o pior, achando que fossem me encaminhar para outra cirurgia, ou quimioterapia, mas, para minha surpresa, o médico, avaliando meus exames, disse que eu não tinha mais nada, que a minha medula estava sadia e que ele não via mais motivo para tratamento e me deu alta médica.

Eu não acreditei e ainda questionei isso e aquilo nos exames, mas ele explicou todos os detalhes e disse: não precisa nem marcar retorno.

Saí do consultório em estado de graça, senti um alivio, uma enorme emoção, felicidade e gratidão, tomando conta do meu ser. Queria contar para todo mundo. Sentia-me livre e leve.

Com toda esta experiência, houve uma grande mudança na minha família. Hoje, estamos alicerçados numa nova estrutura, mais unidas do que nunca. Como é importante e valiosa a união e o amor fraterno!

Compartilho o meu renascimento com todos e agradeço a Deus, a Meishu Sama, aos meus antepassados, aos ministros, missionários, a minha família e me comprometo, mediante este altar, prosseguir servindo a Obra Divina com muito amor e gratidão.

Muito obrigada.

Para conhecer sobre o Johrei: clique AQUI

Unidades onde receber Johrei: clique AQUI

Sobre a Igreja Messiânica e atividades: clique AQUI

Anúncios

4 respostas para Experiência de Fé – Márcia Brito

  1. Selma Elyachar disse:

    Marcia querida, muito obrigada de compartilhar, sua purifição e um tão alto crescimento espiritual. Chorei, mais de alegria em ver esse seu lindo rosto. Mesmo não morando no Brasil, a confiaça e a fé é aa mesma em Deus e Meishu-Sama. Desejo muito qdo for ao Solo, entrrar em contato com vc. Meus sinceros votos para que seuss dias sejam bem iluminados.
    Selma Elyachar

    Curtir

  2. Iolanda almeuda disse:

    Parabéns pela força e dedicação amiga. VC e uma mulher guerreira e Deus estará sempre abençoando VC e sua família. E por isso q faço questão de ter um grupo de johrei no hospital q trabalho e TB fazer oficinas de ikebana lá. Agora estamos programando uma excursão em setembro p o solo. Não participou mto na igreja. Mas faço a minha parte p q mtas pessoas conheçam o johrei.
    Bjs amiga

    Curtir

  3. Maria J C Santos disse:

    Parabéns Márcia por sua força e garra você e exemplo para muitos que tenha fé sempre

    Curtir

  4. Denise Smith disse:

    Muita força pra você. Muito linda sua experiência de fé com o Johrei. Isso faz lembrar e dar forças a membros que muitas vezes se esquecem da força do Johrei e ensinamentos de Meishu-Sama. Boa sorte a você tudo de bom.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s